Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

HARRY POTTER E A ORDEM DA FÊNIX

Harry não recebe mais cartas de Rony e Hermione, o Verão está insuportável e Harry escuta de repente um barulho na casa dos tios. Valter, o tio de Harry, desconfia que ele tenha sido o autor do barulho, Harry chateia-se e começa a andar pelas ruas quando vê o seu primo Dudley e os seus amigos. A caminho de casa, Harry e Duda começam a discutir. Duda fala algo sobre Cedrico, e Harry puxa a varinha, mas não a usa. De repente, chegam dois dementors que atacam Harry e Dudley, e Harry usa magia para se livrar dos dementors. A Srª. Figg, uma vizinha de Harry, chega e começa a falar que um tal Mundungo Fletcher o estava seguindo por ordens de Dumbledore, e saiu no seu turno de vigilância. Harry nunca imagina que a Sra. Figg fosse Bruxa, e ela revela-lhe que é uma cepa-torta. Harry também se enraivece quando descobre que Dumbledore estava a pedir para que pessoas o seguissem. Quando chega na casa dos Dursley, os tios lhe pedem grandes informações sobre como tudo aconteceu, e chegam a pensar que o Harry usou magia contra Duda, mas o que mais preocupou Harry foi uma carta dizendo que ele fora expulso de Hogwarts! Minutos depois, chega outra dizendo que, em vez disso, o Harry terá que comparecer a uma audiência disciplinar de noite com um grupo de pessoas, incluindo amigos de Harry como Remus Lupin. Eles levam-no em vassouras até a casa de Sirius Black. Harry encotra Ron e Hermione e grita com eles um monte de coisas toda a sua raiva do Verão. Os amigos explicaram o que é a Ordem da Fênix. Harry vai até a audiência com o pai de Ron. Na audiência, Harry, por um triz é absolvido. Na saída do Ministério, Harry e Arthur vêem o Ministro da Magia que ultimamente tem engrossado com Dumbledore ao lado do Devorador da Morte, Lucius Malfoy. Harry, Ron e Hermione voltam à Hogwarts.